Uniprime - Cooperativa de Crédito do Norte do Párana

#101 - Tudo sobre as debêntures

19 de Abril de 2021

#101 - Tudo sobre as debêntures
Olá, aqui é a Juliana e, antes de publicar o texto do Rodrigo, gostaria de agradecer imensamente a todos que nos acompanham e se informam por meio de nossos artigos. É uma honra escrever e poder contribuir e melhorar seu entendimento sobre o mercado financeiro e a maneira como você lida com seu dinheiro. Estamos juntos há dois anos e, pensando em agregar ainda mais para você, leitor, convidamos o Rodrigo Martimiano da Rocha para participar do canal de educação financeira e compartilhar conosco novos conteúdos.



Rodrigo é especialista em Planejamento Financeiro com Certificação CFP, possui 20 anos de experiência no mercado financeiro e é atual Gerente da Agência Uniprime Cornélio Procópio-PR.

Espero que gostem do que estamos planejando juntos, vem muita novidade por aí! 
Aproveito para convidá-lo a conferir o artigo sobre debêntures - assunto tão comentado neste momento - escrito pelo Rodrigo. 
Ótima leitura e até logo! 


Tudo sobre as debêntures
Por Rodrigo Martimiano da Rocha, profissional com Certificação CFP®. 

Estamos vivendo um momento da economia em que a taxa básica de juros se encontra em patamares muito baixos, e vários produtos financeiros são trazidos aos noticiários como alternativas de investimento. Um que vem sendo bastante comentado atualmente são as debêntures. 

Não se trata de nenhum modelo novo de investimento, mas sim de um dos papéis mais antigos comercializados pelo mercado. No Brasil, a emissão de debêntures foi regulamentada na forma como vemos hoje pela lei das S.A. de 1976. 

Funciona assim: basicamente, a debênture é um papel em que o investidor empresta seu dinheiro para uma empresa. Toda empresa constituída sobre a forma de sociedade por ações, as famosas S.As., tanto de capital aberto quanto fechado (excetos as ligadas a conglomerados financeiros), podem emitir este tipo de título a fim de captarem dinheiro, que pode ser utilizado para os mais variados fins.  É a própria empresa emissora que determina o quanto de juros está disposta a pagar, podendo ser em taxa pré ou pós fixada ou ainda mista, e em qual prazo e periodicidade que irá fazer, podendo o tempo total variar de 2 a até mais de 10 anos. O investidor que compra este papel passa a ser credor desta empresa. Algumas das debêntures podem ter como atrativo a possiblidade de serem convertidas em ações, fazendo o investidor se tornar sócio da empresa. Há ainda a possibilidade de negociação deste papel no mercado secundário, que nada mais é do que vender este papel para outro investidor, uma vez que - por se tratar de longo prazo - é uma alternativa em caso de uma necessidade de resgate do recurso.

Neste papel, o investidor corre o risco de crédito, ou seja, o risco de a empresa não conseguir pagar por este empréstimo, e neste caso ficará com o prejuízo, pois as debêntures não contam com garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). É um papel que se enquadra na categoria de renda fixa, sendo considerado um investimento com perfil moderado. 

Ainda ficou com dúvidas? 
Fale com a gente através do e-mail: contato@uniprimebr.com.br


COMPARTILHAR:

Este conteúdo foi útil para você?

VEJA TODOS OS ARTIGOS