Uniprime - Cooperativa de Crédito do Norte do Párana

#79 - Previdência Privada

09 de Novembro de 2020

#79 - Previdência Privada
Por Juliana Olivieri Refundini, profissional com Certificação CFP®.

No artigo de hoje, vou ajudá-lo a entender melhor quais são as escolhas que deverá fazer ao contratar sua Previdência Privada e qual é o plano mais adequado para seu perfil. Vamos lá?

As taxas que incidem sobre a Previdência é o primeiro item a ser observado, pois influenciam diretamente na rentabilidade do dinheiro. São 3 taxas que devem ser analisadas:

1) Taxa de administração: incide sobre o patrimônio do fundo e impacta diretamente na formação de sua poupança. Para exemplificar, vamos utilizar uma rentabilidade de 0,50% ao mês:

- Taxa de Administração de 2,5% ao ano: ao investir R$ 500,00 por mês, durante 20 anos, ao final do período você terá acumulado aproximadamente R$ 173.837,75;
- Taxa de Administração de 0,80% ao ano: ao investir R$ 500,00 por mês, durante 20 anos, ao final do período você terá acumulado aproximadamente R$ 210.317,77.

2) Taxa de carregamento: entenda que nem todo plano de Previdência cobra essa taxa. Ela é descontada de cada aplicação a título de cobrir os custos da empresa que administra o fundo.

- Exemplo: supondo que a taxa cobrada é de 2% - ao investir R$ 100,00, somente R$ 98,00 serão aplicados em seu fundo.

3) Taxa de saída: nem todo plano de Previdência cobra essa taxa. Ela é um percentual sobre o valor sacado antes de determinado prazo. Ou seja, se você sacar o valor investido antes do prazo determinado na contratação do plano, você pagará uma taxa de saída.

Agora que entendemos sobre as taxas, é hora de escolher entre VGBL x PGBL. Mas o que isso significa? Vamos lá!

PLANO GERADOR DE BENEFÍCIO LIVRE (PGBL): indicado para quem faz declaração completa de IR. Utilizada como benefício fiscal permitindo abater até 12% de sua renda, em sua declaração de ajuste anual de IR. Vale ressaltar que você só terá esse benefício se contribuir com a Previdência Social (INSS). Veja o exemplo abaixo:



VIDA GERADOR DE BENEFÍCIO LIVRE (VGBL): indicado para quem faz a declaração de IR simplificada.

Vale ressaltar que o plano PGBL lhe garante este benefício fiscal agora, porém no futuro a tributação de IR será sobre o valor total do fundo (valor investido acrescido do rendimento), cuja alíquota dependerá da tabela de IR adotada. Já no VGLB, a incidência de IR se dá somente sob os juros, pois você não teve o benefício fiscal que explicamos acima.

Outra escolha que você deverá fazer ao definir seu plano de Previdência é sobre a tributação. São duas opções que devem ser analisadas:

Tabela Progressiva: segue a mesma regra aplicada do salário. Possui uma faixa de isenção e depois varia de 7,5% a 27,5% de acordo com valores dos resgates. Você pode fazer o resgate mensalmente ou de uma só vez, para isso, atente-se a tabela de IR e escolha qual é a opção mais adequada a você.



Tabela Regressiva: a tributação inicia em 35% e a cada dois anos, reduz 5%. Após 10 anos, essa taxa é fixada em 10%. Indicada para investimentos de maiores valores e de longo prazo.

Quando você chegar a idade que estabeleceu para receber sua Previdência Privada, ou seja, o Benefício, você poderá optar por uma renda mensal por um determinado prazo, de forma vitalícia, vitalícia reversível ao cônjuge ou até mesmo resgatar o valor de uma só vez e usufruir como desejar.



Ao escolher seu plano de Previdência Privada, lembre-se: esse é um investimento indicado para Longo Prazo, no qual você poderá ter alguns benefícios fiscais. É muito utilizado também em planejamento sucessório, pois não entra em inventário.

Se você ainda não leu a primeira matéria sobre Previdência Privada, clique aqui.

Ficou com alguma dúvida? Gostaria de saber sobre algum assunto da área financeira? Escreve pra gente! 
Envie sua sugestão através do e-mail: faleconosco@uniprimebr.com.br

Até a próxima semana!


(Texto republicado. Publicação original em 29 de abril de 2019)



COMPARTILHAR:

Este conteúdo foi útil para você?

VEJA TODOS OS ARTIGOS