Uniprime - Cooperativa de Crédito do Norte do Párana

#26 - Plano em família!

07 de Outubro de 2019

#26 - Plano em família!
Por Juliana Olivieri Refundini, profissional com Certificação CFP®.

No mês de outubro, em função do dia das crianças, as despesas com presentes aumentam significativamente, pois presenteamos como forma de demonstrar ao outro todo nosso afeto. Mas cuidado, tanto amor traduzido em gastos pode ser fatal para seu orçamento, e no final, descobrimos que é impossível expressar todo o nosso sentimento através de coisas materiais, e que o presente em si, é o menos importante.

Na semana passada, colocamos a importância de falar sobre dinheiro com seus filhos, para que desde cedo eles criem consciência de seus gastos e de como podem conquistar seus objetivos. Lembramos da importância de trazer esse e outros conceitos para o grupo familiar. Porém, sabemos que, como pais, mais do que orientar, devemos ser o exemplo a se seguir. Portando, vamos listar algumas dicas de como organizar o Planejamento Financeiro Familiar. É interessante envolver todos os membros da família quando possível, pois assim, cada um entenderá o seu papel e as suas responsabilidades.

1- “Quanto ganhamos?”
É muito importante estabelecer o valor do orçamento familiar. Se as despesas forem maiores que as receitas, existem duas alternavas: criar fontes alternativas de receita ou cortar parte das despesas.

2- “Quanto gastamos?”
Outro ponto fundamental é saber de qual valor a família precisa para seu sustento, ou seja, as despesas. Mais que isso, detalhar e separar quais são as despesas fixas e quais são as despesas variáveis. Lembrando que o ideal é que as despesas variáveis sejam menores que 35% e as fixas até 50% do total da receita familiar.

3- “Quais são os nossos objetivos?”
Traçar objetivos comuns contribui para que todos fiquem engajados e se esforcem naquilo que está ao seu alcance. Estipular prazo para cada um dos objetivos, valores que devem ser investidos mensalmente e quais tipos de investimento são adequados para curto, médio e longo prazo, ajudam a manter o foco.

4- “E se tudo der errado?”
Lembre-se de constituir um fundo de reserva emergência para a família, cujo valor indicado é de 6 vezes o valor de suas despesas mensais.

Nesta estratificação podem ser utilizadas planilhas para mensurar tudo que comentei acima, e também para melhor acompanhamento.

Planejar não é proibir a família de gastar, e sim, imbuir em todos um objetivo comum, mostrando a razão pela qual estão lutando. Além de ser muito saudável para seus filhos, que crescerão com consciência financeira. Bom senso acima de tudo é fundamental, pois a vida requer equilíbrio e, neste caso, o equilíbrio financeiro é o que deve ser buscado.

Gostaria de saber sobre outro assunto da área financeira? Fale com a gente através do e-mail: faleconosco@uniprimebr.com.br

COMPARTILHAR:

Educação Financeira