Uniprime Cooperativa  de Crédito VOLTAR

COOPERATIVISMO

HISTÓRIA

As cooperativas se originaram em Manchester, na Inglaterra, em 21 de dezembro de 1844 quando um grupo de tecelões criou uma sociedade que atuaria no mercado. O cooperativismo é uma nova forma de pensar do homem, do trabalho e do desenvolvimento social, pois visa ajuda mútua e igualdade de direitos e deveres, trabalha com objetivos claros e beneficia o associado. Basicamente, é uma associação de pessoas que buscam uma sociedade justa, livre e fraterna, com bases democráticas e soluções justas para problemas socioeconômicos.

PRINCÍPIOS DO COOPERATIVISMO

1. Adesão voluntária e livre:

As cooperativas são organizações voluntárias, abertas a todas as pessoas aptas a utilizar os seus serviços e assumir as responsabilidades como membros, sem discriminações de sexo, sociais, raciais, políticas e religiosas.


2. Gestão democrática:

As cooperativas são organizações democráticas, controladas pelos seus cooperados, que participam ativamente na formulação das suas políticas e na tomada de decisões. Os homens e as mulheres, eleitos como representantes dos demais membros, são responsáveis perante estes. Nas cooperativas de primeiro grau os cooperados têm igual direito de voto (um membro, um voto); as cooperativas de grau superior são também organizadas de maneira democrática.


3. Participação econômica dos membros:

Os cooperados contribuem para o capital das suas cooperativas, controlam-no democraticamente e recebem remuneração máxima de acordo com a L.C 130, definida pelo Conselho de Administração. Os resultados obtidos pela cooperativa são destinados a uma ou mais das seguintes finalidades:
     • desenvolvimento da sua cooperativa, eventualmente através da criação de reservas;
     • distribuição aos cooperados na proporção das suas transações com a cooperativa;
     • apoio a outras atividades aprovadas pelos membros.


4. Autonomia e independência:

As cooperativas são organizações autônomas, de ajuda mútua, controladas pelos seus cooperados.


5. Educação, formação e informação:

As cooperativas promovem a educação e a formação dos seus cooperados, dos representantes eleitos e dos trabalhadores, de forma que estes possam contribuir, eficazmente, para o seu desenvolvimento. Informam o público em geral, particularmente os jovens e os líderes de opinião, sobre a natureza e as vantagens da cooperação.


6. Intercooperação:

As cooperativas servem de forma mais eficaz aos seus membros e dão mais força ao movimento cooperativo, ao trabalhar em conjunto, através de suas estruturas locais, regionais, nacionais e internacionais.


7. Interesse pela comunidade:

As cooperativas trabalham para o desenvolvimento sustentado das suas comunidades através de políticas aprovadas pelos cooperados.

OBJETIVOS

O cooperativismo de crédito oferece instrumentos que facilitam o acesso ao crédito e a outros produtos financeiros pelos associados, além de despertar o sentido de planejamento financeiro.

Também é objetivo do cooperativismo de crédito trabalhar com juros mais acessíveis, promover integração entre os associados e desenvolver espírito de equipe, solidariedade e ajuda mútua.

CARACTERÍSTICAS

• A cooperativa é dirigida e controlada por seus cooperados;
• A riqueza e a poupança geradas pela cooperativa permanecem no próprio município, contribuindo para o desenvolvimento das atividades dos seus cooperados e da sociedade;
• A cooperativa permite o acesso de pequenos empreendedores ao crédito, aplicações e outros serviços bancários;
• Oferece menor custo operacional em relação aos bancos;
• Amplia o acesso ao crédito adequado às condições do cooperado;
• O cooperado conta com atendimento personalizado;
• Há oportunidade de maior rendimento nas aplicações financeiras;
• Os cooperados se beneficiam da distribuição dos resultados e dos juros ao capital

CAPITAL SOCIAL

O capital social é constituído pela somatória das quotas-parte que cada cooperado adquire ao ingressar na cooperativa, acrescido das sobras e dos juros, em conformidade com a Assembleia Geral Ordinária.

A quota-parte do cooperado é corrigida?

Sim. A legislação permite a correção das quotas-parte até o limite máximo de 100% da SELIC média do ano (L.C. 130).

Ao sair da Cooperativa...

As regras para resgate das quotas-parte são definidas em lei e regulamentadas pelo Estatuto da Cooperativa. O cooperado poderá resgatar as quotas-parte:

1) Quando completar 65 anos;
2) Em função do seu desligamento da cooperativa;
3) Em situações especiais.