EDIÇÃO Nº 23 - JULHO/2020

Os desafios da maternidade e home office

Em tempos de pandemia, mães e colaboradoras Uniprime contam sobre os desafios de trabalhar em casa

Os desafios da maternidade e home office
Trabalhar fora e ainda dar conta da casa e de filhos pequenos é uma tarefa que exige muita determinação. Como se não bastasse, a quarentena imposta pelo novo coronavírus trouxe muitas mudanças. Sem a rede de apoio (incluindo familiares, amigos e escola), as famílias, e em especial as mães, encontram-se em uma situação altamente desafiadora. 

Adaptar-se ao home office na presença constante dos filhos exigiu das mães um esforço ainda maior para dar conta do básico. E com o afrouxamento das medidas de isolamento, muitas tiveram que retornar aos escritórios sem ter onde deixar os filhos, uma vez que as escolas continuam fechadas.

Para Erica Watanabe, Coordenadora de Suporte da Sede Uniprime Londrina, e mãe de Vitor (9 anos) e de Vinícius (1 ano e 10 meses), a adaptação exigiu uma rotina mais rígida para que fosse possível se organizar entre cuidar da casa, dos filhos e do trabalho. “Entre as maiores dificuldades que enfrento está no meu filho mais velho me chamando quando estou no telefone. O filho mais novo, ainda não fala, mas me puxa pelas mãos e quando me levanto da cadeira, ele quer subir para ver o computador, fora as músicas infantis tocando o dia todo e brinquedos espalhados pela casa para distraí-lo", conta Erica.

E como trazer leveza e serenidade nesse caso? Francine Moraes, Gerente de Negócios Uniprime Sorocaba e mãe de Maria Eduarda (8 anos) e Gabriel (3 anos), conta que o segredo foi encarar a rotina diária como se estivesse saindo para trabalhar. “Estipulei horário para levantar, tomar banho, tomar café, almoçar e procurei não ficar de pijama, para ter uma melhor gestão do tempo e assim ter uma melhor produtividade trabalhando em casa”, comenta.

Para ambas, a experiência tem o seu lado positivo. Para Erica, “é um privilégio poder trabalhar em casa e ao mesmo tempo acompanhar o desenvolvimento dos filhos”. Francine concorda: “Apesar de todas as dificuldades, eu avalio ter sido uma boa experiência, pois na correria do dia a dia, o tempo passa muito rápido e quando nos damos conta, o dia já terminou e além disso,  tive mais tempo para fazer atividades específicas para o crescimento da minha carteira”. Mas ressalta: “Trabalhar em casa foi muito bom, mas voltar a trabalhar na agência é muito melhor”. 


Francine Moraes, Gerente de Negócios Uniprime Sorocaba

Outros Artigos

Jornalista Responsável: Loraine Santos