EDIÇÃO Nº 09 - MARÇO/2018

Cooperativismo em alta

Taxas mais competitivas e distribuição das sobras são alguns dos diferenciais entre cooperativa de crédito e bancos tradicionais

Cooperativismo em alta
Definido como um modelo socioeconômico mais justo e humano de fazer negócio, o cooperativismo tem evoluído de maneira exponencial como uma alternativa ao capitalismo ganancioso, que visa o individualismo e as taxas abusivas. E, quando observamos sob o prisma financeiro, fica ainda mais evidente que o comportamento cooperativista possui uma mecânica da confiança inerente aos sistemas.

“O sistema cooperativo de crédito evoluiu muito nos últimos anos e conquistou um espaço próprio, definido por uma nova forma do homem se relacionar com sua vida financeira. Hoje, existem mais de 1 bilhão de cooperados ao redor do mundo e os princípios do cooperativismo são, certamente, um sucesso”, afirma Sr. Antonio Hernandes, Diretor Gerente da Uniprime.

As cooperativas de crédito são conhecidas por facilitar o acesso ao crédito, cobrando taxas bem menores do que bancos comuns pelos mesmos produtos e serviços financeiros. Não é à toa que essas instituições seguem na contramão da crise, com contínuas previsões de crescimento. Na Uniprime, esse modelo de gestão reflete nas sobras anuais pagas aos cooperados. Em 2017, a cooperativa ultrapassou o resultado de R$ 82 milhões e as sobras foram distribuídas aos cooperados no último dia 5 de março.

“Tenho orgulho de afirmar que a Uniprime Norte do Paraná exerce os princípios do cooperativismo com maestria, destacando-se entre as cooperativas de crédito que mais cresce no Brasil”, conclui o Diretor.

Conheça mais sobre os princípios do cooperativismo clicando aqui.


Antonio Hernandes, Diretor Gerente



Jornalista Responsável: Loraine Santos