Edição Nº 2 - Dezembro/2016

Conectividade Financeira

O reflexo dos avanços tecnológicos para a sociedade

Conectividade Financeira
3,2 bilhões. Segundo a União Internacional das Telecomunicações (órgão vinculado à ONU), esse é o número de pessoas conectadas no mundo. Parece inacreditável que no início dos anos 2000, somente 400 milhões de pessoas tinham acesso à Internet. Há 15 anos, coisas como Smart TVs, GPS, Smartphones e armazenamento na nuvem simplesmente não existiam. Na virada do milênio, pouca gente imaginava que seria possível conectar à Internet por uma rede sem fio, como Wi-Fi e 4G, por exemplo.

Entre as inúmeras vantagens que a conectividade proporciona, podemos destacar a possibilidade de reunir pessoas virtualmente, a facilidade em se manter atualizado sobre o que acontece no mundo e a quantidade de arquivos que podem ser armazenados e compartilhados em tempo real. 

O aumento da conectividade global também fez um significativo impulso no mundo dos negócios. Empresas de diferentes locais ao redor do mundo conseguem perfeitamente fazer reuniões, resolver problemas, fazer contratações e fechar parcerias através da Internet. Em última análise, ficou incrivelmente fácil se comunicar, independentemente da distância entre as coisas e as pessoas.

Conectividade Financeira

A capacidade de se conectar tem transformado também a economia global e o setor financeiro está entre os de maior evolução. Como a maioria das outras indústrias, instituições bancárias de tamanhos variados dependem fortemente da conectividade de rede para lidar com algumas das suas tarefas mais sensíveis. 

A possibilidade de expandir uma base de clientes e gerar novos fluxos de receita é imperativa para aumentar a competitividade do mercado nesse setor. As instituições devem ser capazes de proporcionar ligações seguras entre bancos e caixas eletrônicos, independentemente da localização e também fornecer infraestrutura para redes interbancárias.

Mobile e Internet Banking

Os avanços em tecnologias web têm feito com que as instituições financeiras tenham a possibilidade de criar extensões aos serviços já oferecidos, com objetivo de promover a mobilidade e facilitar o dia a dia dos usuários. O Mobile Banking, por exemplo, é um sistema que permite aos clientes de uma instituição financeira realizarem uma série de transações financeiras através de um dispositivo móvel, tais como efetuar pagamentos com código de barras, consultar saldos e obter extratos, realizar aplicações e transferências bancárias, entre outras.

Segundo uma pesquisa sobre uso de tecnologia, realizada em abril de 2016 pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo, o número de aparelhos smartphones em uso no Brasil é de 168 milhões. Com a soma entre smarts e computadores, a densidade de dispositivos conectados à Internet será de 1,6 aparelho para cada habitante do país. Como dado comparativo, há apenas 6 anos, o número era de um dispositivo para cada dois brasileiros.

“Esta conectividade está gerando uma mudança de comportamento em todos nós. Por isso, precisamos estar atentos às preferências dos cooperados, criando canais confiáveis que melhoram a vida e o dia a dia das pessoas”, conclui Mateus Bittencourt da Silva, Gerente do T.I. da Uniprime Norte do Paraná.

Você conhece o App Uniprime Mobile Banking?

Clique na imagem e saiba mais:


Jornalista Responsável: Loraine Santos